Crônicas d’O Escolhido de Deus. Parte Um. Episódio 6: A beleza das contradições

Publicado: 14 de janeiro de 2012 por Bill em Tudo Mais
Tags:

– Bom dia, flor do dia

Uma moça estonteantemente bela entrou pela porta do lugar com um sorriso enorme na boca, trazia uma sacola de supermercado numa mão e um buquê de flores vermelhas escarlates na outra.

Instintivamente, João levou as mãos ao peito nu. João detestava seu peito branco e pelado, por isso quando, e salienta-se o quando, ele tinha chance de uma transa fazia questão de deixar as luzes apagadas. Mas os recentes infortúnios o fizeram se danar pra essa porra, e além do mais, sejamos francos, seja aquela moça quem fosse, era muita areia pro caminhãozinho de João, era tipo, super-model passando perto de uma construção.

João deixou os braços caírem, meio desajeitados, não sem antes puxar o zíper do casaco até o meio do peito.

– Olha, eu ainda estou tentando me acostumar a essa dieta de vocês – contou animada, despejando o conteúdo da sacola em cima da mesinha de centro na sala – Vocês tem um grande fascínio pelo açúcar, isto é, quase como as estrelas por hidrogênio se é que me entende. Mas com um paladar desses, eu posso compreende-los

João se aproximou devagar, incerto. Não sabia onde estava, não sabia quem era a moça que conversava com ele e acima de tudo, não conseguia entender a conversa. Sentou-se na poltrona em frente a moça. Mas do que diabos ela estava falando? João olhava dela para os produtos. Ela estava animada, não, eufórica com meia dúzia de biscoitos, algumas caixas de bom-bons e uma porrada de barras de chocolate? Então, ele novamente olhou pra ela, e deixou-se surpreender novamente pela beleza estonteante da moça. Ela parou de falar e o observou, então seu sorriso ficou maior ainda. João não teve dúvidas, estava pirando, ah sim, estava. Ficando lelé da cuca, diria seu avô.

– Você não está louco

João levou as mãos ao peito enquanto pensava que porra foi essa!?

– O que é difícil dizer sem cair em contradições – ela esperou alguma reação da parte dele, sem obter nenhuma, prosseguiu – Vou explicar. É fascinante como vocês conseguem produzir uma linguagem toda baseada em contradições e que ainda assim, seja de perfeita assimilação. Loucura, por exemplo. Vocês chamam de loucura o absurdo, isto é, tudo que está fora dos padrões, o que é em si um absurdo. Vocês usam as lógicas de sistemas isolados para definir padrões de absolutamente tudo, até de comportamento! Fascinante!

Fascinante: latim fascinans, -antis, particípio presente de fascino, -are; 1. Que provoca fascínio;

Fascínio: latim fascinum, -i, encanto, feitiço; 1. Mau-olhado, encantamento; 2. Dominado pela fascinação, fascinado

Fascinado: particípio de fascinar;

Fascinar: 1. Subjugar, atrair a si com o olhar; 2. Prender com feitiços; 3. [Figurado]  Deslumbrar; 4. Encantar; 5. Seduzir, alucinar 6. Confrontar: faxinar; 7. Contradições, para evitá-las diga: Cara, que doidera!

Qual o nome da rosa?

Anúncios

Comente! Quebre as leis!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s