O amor incondicional do idiota

Publicado: 30 de julho de 2013 por Bill em A Vida
Tags:, , , ,

O amor do idiota pode parecer bastante altruísta a primeira vista, mas não se deixem enganar, não há nada de mais egoísta do que amar incondicionalmente. Deixe-me explicar. O idiota é tão estupido que se alguém comesse o cu dele, ele choraria por perdão e não por ódio! Sua idiotia não tem limites! Ah, deixem-me contar o caso da prostituta. Acontece que uma vez os amigos do idiota, outros idiotas, levaram-no a um bordel. O idiota precisava perder o cabaço. Mas, uma vez a sós com a prostituta, o idiota começou a chorar. Chorar compulsivamente, como uma criança. A prostituta abraçou o idiota acreditando estar na presença de um anjo. A prostituta era uma idiota também. O idiota na verdade chorava por sentir nojo dela. Por pensar nos milhares de homens que despejaram suas porras em cima dela, Por pensar que por mais fundo que a escova fosse em sua carne, aquela mulher ainda estaria suja, impregnada pelo suor masculino. E o idiota chorava por pensar nessas coisas. E imediatamente passou a amar a prostituta. Amar incondicionalmente. Todo dia ia visitá-la. Comprava bombons, flores, brincos, o que achasse pelo caminho. Mas a prostituta já estava se cansando do idiota. Sua presença passou a incomodá-la. Ver o idiota lembrava a prostituta de quem ela era. E a prostituta começou a desfazer do idiota, zombar de seus presentes, troçar do seu amor, fazer com que ele esperasse do lado da porta e pudesse ouvir seus gemidos a cada nova penetração, lembrar-lhe de quem ela era. Uma puta. Na verdade, a prostituta amava o idiota, mas ele não podia fazer parte de sua vida. Simplesmente não podia. E por amor, somente por amor, a prostituta cuspiu na cara do idiota e pediu pra que ele nunca mais a procurasse. Não posso descrever quão destruído ficou o espirito do idiota. Quando todo seu ego se desfez sob o peso da humilhação (o idiota não se esqueceu de que foi rejeitado por uma puta), o idiota deixou de ser idiota. Por um momento ele pode contemplar melancolicamente a inutilidade do amor. Mas uma vez idiota, sempre idiota. Isso só fez com que seu amor aumentasse ainda mais. E hoje o idiota observa seu amor de longe. Não tenho dúvidas quanto a intensidade desse amor. Mas pergunto: que amor é esse que não se compartilha? Não há generosidade nas atitudes do idiota, seu único objetivo é deixar de ser idiota. Por isso que somente um idiota pode amar incondicionalmente o outro. Pena que sejamos covardes demais para viver como um idiota.

Anúncios

Comente! Quebre as leis!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s