Primeiro rascunho do Ladrão de Pesadelos

Publicado: 26 de outubro de 2013 por Bill em Tudo Mais
Tags:, ,

E o sujeito é acordado pela dor de cabeça. A dor é tão intensa do lado direito da cabeça que seu primeiro movimento é direcionado àquela direção na expectativa de encontrar o martelo que acabara de acertá-lo. Mas só encontra a meia luz que escapa das cortinas. Ele se levanta. De repente se surpreende pelo ato de levantar. O que era aquilo? Tinha algum significado, o sujeito bem sabia, levantar significava alguma coisa… o quê? Escapara. Fora a pancada. Quem o acertara? Ele abre a cortina e a pupila se contrai diante da luz, a cabeça quase explode de dor. Torna a fecha-las como um vampiro desmemoriado. Deus, o que aconteceu comigo? O sujeito é pego pela maior das surpresas até então. Quem eu sou? Ele olha no espelho e tal qual um vampiro, nada vê, o sujeito a sua frente é um estranho. Que porra de merda é essa?! O sujeito olha para a escrivaninha e encontra o sujeito do espelho abraçado a uma criança e um outro sujeito. Nada. Não sente nada. mas sente que deveria sentir alguma coisa. O vazio. É a única coisa que o sujeito sente. Um buraco. Alguém roubou alguma coisa de mim. Foi a pouco. Está fresco. Ele quase… daí vê um celular. Ele aperta o botão de ligar. O número chama. Tan-dan-dan-dan-tan-dan-dan-dan-tan-dan-dan chamada a cobrar para aceitá-la continue na linha após a identificação… Quem eu sou? Oi? Alô? Quem é? Não sei! Como não sabe? Você me ligou! Liguei para perguntar quem eu sou? E como vou responder quem você é se eu também não sei quem eu sou? Como assim? Não sei, ontem acordei sem saber quem era e estou assim até agora. Ora, comigo aconteceu hoje… ou foi ontem e não me lembro? cara, vai se fuder, você tá é tirando uma com a minha cara, eu sei quem você é! Foi você quem ligou ontem pra me sacanear, acha que eu não te reconheci? VÁ SE FUDER! Não vou mais atender essa porra de telefone, nem abrir a porta! Não adianta vir aqui! Não vou abrir! Tu-tu-tu-tu-tu. Que porra foi essa?! O sujeito se senta, aliás, desaba. As pernas já não suportam o corpo e é realmente surpreendente que algum dia possam ter suportado, parecem tão frágeis… e o sujeito encontra papel, muito papel, e um lápis desapontado. Ele começa a escrever.

Sinto que acabou de acontecer

Foi como um sonho que se perde no instante em que se acorda

Sim, como um sonho

mas terrível

por que digo isto?

de onde vem essa terrividade?

Minha cabeça dói

O mundo está maluco

Lá fora,

as pessoas andam de quatro, de ponta a cabeça, rastejam, ciscam, correm e gritam

Ninguém sabe ligar um carro

ou andar de bicicleta

Deus, eu nem sei se esses nomes se referem as coisas que vejo

o que aconteceu com o mundo?

por que estou escrevendo isso?

Talvez eu seja um escritor

De que?

De terror

Que terror?

De onde vem essa terrividade?

E o sujeito se lembra que quando criança, ele e um outro sujeito espancaram e estupraram uma criança.

Um pesadelo

Um pesadelo que roubei, o primeiro

de muitos

outros, dezenas, milhares, milhões

Minha cabeça dói

Preciso aguentar as marteladas

Não posso devolver os pesadelos a humanidade

Eu sonhei com a liberdade uma vez

e ela não era bonita, muito pelo contrário

era terrível

terrível como só um pesadelo sabe ser

Por que nós buscamos algo tão horrível

Liberdade

passa a idéia de potência

Mas Ícaro caiu ao se aproximar da luz

E Édipo cumpriu seu destino quando o negou

E é assim

uma palavra

um sonho

um pesadelo

Eu sou o ladrão de pesadelos

Sim, eu

Eu torno as pessoas livres

porque agora elas não sonham com a liberdade

E o sujeito é acordado pela dor de cabeça.

Anúncios

Comente! Quebre as leis!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s