Posts com Tag ‘romantismo’

O vencedor

Publicado: 24 de setembro de 2013 por Bill em Tudo Mais
Tags:, , , ,

Eu nasci pra ser um conquistador, o vencedor

Mas olha só onde eu estou?

Eu nasci pra ser um conquistador, o vencedor

Mas engulo merda com fervor!

Nascemos em uma cama macia

numa cidade dura e fria

Somos criados pra ser astros de rock

pra ser ator, famoso, brilhar

Tudo que fiz foi me endividar

Parece que nem sai do lugar

Tenho carro, carreira e uma mulher bonita

Mas quando chego em casa tudo que quero é deitar

E, secretamente, rezar

Sonho com a turbina de um boing caindo sobre meu quarto

Eu nasci pra ser um conquistador, o vencedor

Mas olha só onde estou?

Eu nasci pra ser um conquistador, o vencedor

Mas engulo você com ardor!

Disseram pra não falar com a boca cheia

Pediram que eu não vestisse roupas esquisitas

pra que evitasse as drogas

Mas sou um gênio difícil e fiz tudo ao contrário

pra que não me parecesse com um manequim

Mas, e aí? Também aqui nada vi

Eu nasci pra ser um conquistador, o vencedor

Mas olha só onde estou?

Eu nasci pra ser um conquistador, o vencedor

Mas sou o papel que limpa o seu cu com amor!

Vc e o romantismo

Publicado: 22 de maio de 2013 por Bill em A Vida
Tags:,

Qualquer pessoa que marque um encontro com um estranho em um desses sites de relacionamentos é um idiota.

O dito cujo não tem nem a capacidade de dizer um olá ao sexo oposto quanto mais convidálo para sair, somente o anonimato lhe dá forças para enfrentar tal empresa.

Ah sim, enfrentar.

Não se enganem, para esse tipo de pessoa, um encontro, por mais banal que seja, é o Juízo Final.

Não, não, não estou exagerando. Já fiquei sabendo de gente que deu um laço no pescoço apavorado com o primeiro encontro. Já vi, isso eu vi mesmo, gente cair de cama na mesma situação.

Vc vê aquela pessoinha vindo na sua direção e nem desconfia que as costas se curvam sob o peso da gigantesca estrutura de aço moldada ao corpo.

Este rapaz, ou esta moça, logo começam a conversar, ainda que fale como tentando disfarçar o fato de  ter acabado de correr uma maratona.

Vc se impressiona com a rapidez com que puxam conversa, em gritante contraste com a evidente postura largamente tímida.

Vc, claro, logo se entediará.

Seu parceiro só sabe falar de si mesmo, justamente o contrário do que você esperava encontrar quando fez a inscrição naquele site.

Vc olha para o seu encontro e recebe seu sorriso.

Vc pensa em quanto as pessoas podem ser solitárias e idiotas.

Vc olha ao redor e encontra um casal próximo a sua mesa, entre um certo desconforto e excitamento, percebe que enquanto trocam beijos e caricias, um deles não tira os olhos de você. Mais além um rapaz está sozinho bebendo uma cerveja, quando ele percebe seu olhar, saca o celular e finge conversar com alguém, vc vê ele fingir divertimento, ira, tristeza e depois se levantar ainda triste ao telefone. Ele olha para você em desafio. Encostado a uma pilastra, um casal se beija, estão no escuro, mas vc pode ver pela expressão do rapaz que ele está loucamente excitado e ela, hmm, ela parece estar escutando unhas de aço rasgarem um quadro negro. Há quanto tempo estarão assim? Será que já se conheciam? Quando ela vai contar a ele que tem vaginismo? É quando um outro casal chama sua atenção, são gays, um está rindo bem alto e o outro está prestes a chorar e isso, vc percebe, movendo sua bunda sobre a cadeira, é um fato corriqueiro, para onde quer que vc olhe, as pessoas não parecem falar a mesma língua, é como se deus tivesse acabado de por ao chão a torre de babel.

E é assim.

As pessoas são solitárias porque não se entendem e não se entendem pq são idiotas.

Vc vira para o seu encontro e se desespera porque ele ainda está sorrindo.

Nem tenta esconder sua felicidade… ele realmente venera minha companhia sem saber o que penso dele.

Por simples provocação vc deixa o garfo cair para velo correr a seus pés como um cachorrinho.

Esse imbecil fará de tudo para me agradar.

Vc sorri maliciosamente.

E ele responde com um sorriso maior ainda, transpirando inocência.

Vc percebe que ele agora está sem armadura.

Imediatamente vc é tomado por um misto de arrependimento e repulsa,

de si e dele.

O sorriso do seu encontro continua luminoso,

ele simplesmente não faz idéia

do que se passa

em sua

cabe

ça.

Vc se irrita, levanta e pede licença para ir ao banheiro,

lá,

vc começa a chorar e pensa que é por essa atitude arrogante que nunca encontrará alguém.

Vc enxuga bem os olhos e volta, determinado.

Vc é homem.

Homens não choram.

Ainda mais por tolices como essas.

Mas sua mesa está vazia.

Vc se larga na cadeira, come uma batata, pega o celular e desabafa com um interlocutor imaginário:

Como sempre, eu estraguei tudo. Eu sou um idiota!!! Com medo da rejeição, eu rejeito, acredito que assim me machuco menos… Quão idiota as pessoas podem ser??!!

Eu respondo.

A tolice não tem limites. Nem o romantismo.