Posts com Tag ‘sonho’

Primeiro rascunho do Ladrão de Pesadelos

Publicado: 26 de outubro de 2013 por Bill em Tudo Mais
Tags:, ,

E o sujeito é acordado pela dor de cabeça. A dor é tão intensa do lado direito da cabeça que seu primeiro movimento é direcionado àquela direção na expectativa de encontrar o martelo que acabara de acertá-lo. Mas só encontra a meia luz que escapa das cortinas. Ele se levanta. De repente se surpreende pelo ato de levantar. O que era aquilo? Tinha algum significado, o sujeito bem sabia, levantar significava alguma coisa… o quê? Escapara. Fora a pancada. Quem o acertara? Ele abre a cortina e a pupila se contrai diante da luz, a cabeça quase explode de dor. Torna a fecha-las como um vampiro desmemoriado. Deus, o que aconteceu comigo? O sujeito é pego pela maior das surpresas até então. Quem eu sou? Ele olha no espelho e tal qual um vampiro, nada vê, o sujeito a sua frente é um estranho. Que porra de merda é essa?! O sujeito olha para a escrivaninha e encontra o sujeito do espelho abraçado a uma criança e um outro sujeito. Nada. Não sente nada. mas sente que deveria sentir alguma coisa. O vazio. É a única coisa que o sujeito sente. Um buraco. Alguém roubou alguma coisa de mim. Foi a pouco. Está fresco. Ele quase… daí vê um celular. Ele aperta o botão de ligar. O número chama. Tan-dan-dan-dan-tan-dan-dan-dan-tan-dan-dan chamada a cobrar para aceitá-la continue na linha após a identificação… Quem eu sou? Oi? Alô? Quem é? Não sei! Como não sabe? Você me ligou! Liguei para perguntar quem eu sou? E como vou responder quem você é se eu também não sei quem eu sou? Como assim? Não sei, ontem acordei sem saber quem era e estou assim até agora. Ora, comigo aconteceu hoje… ou foi ontem e não me lembro? cara, vai se fuder, você tá é tirando uma com a minha cara, eu sei quem você é! Foi você quem ligou ontem pra me sacanear, acha que eu não te reconheci? VÁ SE FUDER! Não vou mais atender essa porra de telefone, nem abrir a porta! Não adianta vir aqui! Não vou abrir! Tu-tu-tu-tu-tu. Que porra foi essa?! O sujeito se senta, aliás, desaba. As pernas já não suportam o corpo e é realmente surpreendente que algum dia possam ter suportado, parecem tão frágeis… e o sujeito encontra papel, muito papel, e um lápis desapontado. Ele começa a escrever.

Sinto que acabou de acontecer

Foi como um sonho que se perde no instante em que se acorda

Sim, como um sonho

mas terrível

por que digo isto?

de onde vem essa terrividade?

Minha cabeça dói

O mundo está maluco

Lá fora,

as pessoas andam de quatro, de ponta a cabeça, rastejam, ciscam, correm e gritam

Ninguém sabe ligar um carro

ou andar de bicicleta

Deus, eu nem sei se esses nomes se referem as coisas que vejo

o que aconteceu com o mundo?

por que estou escrevendo isso?

Talvez eu seja um escritor

De que?

De terror

Que terror?

De onde vem essa terrividade?

E o sujeito se lembra que quando criança, ele e um outro sujeito espancaram e estupraram uma criança.

Um pesadelo

Um pesadelo que roubei, o primeiro

de muitos

outros, dezenas, milhares, milhões

Minha cabeça dói

Preciso aguentar as marteladas

Não posso devolver os pesadelos a humanidade

Eu sonhei com a liberdade uma vez

e ela não era bonita, muito pelo contrário

era terrível

terrível como só um pesadelo sabe ser

Por que nós buscamos algo tão horrível

Liberdade

passa a idéia de potência

Mas Ícaro caiu ao se aproximar da luz

E Édipo cumpriu seu destino quando o negou

E é assim

uma palavra

um sonho

um pesadelo

Eu sou o ladrão de pesadelos

Sim, eu

Eu torno as pessoas livres

porque agora elas não sonham com a liberdade

E o sujeito é acordado pela dor de cabeça.

Voo insone

Publicado: 8 de setembro de 2013 por Bill em Tudo Mais
Tags:, ,

Você passa tanto tempo sem dormir que não consegue mais separar realidade de sonho. Ainda mais quando vivemos num mundo que poderia muito bem ser a imaginação de um anão que conseguiu subir no pé de feijão e, sem encontrar a galinha dos ovos de ouro, pintou ovos comuns de dourado sem saber que o ouro nem dourado é. Estou sonhando. E o sonho é um pesadelo. A história é um pesadelo e o futuro é assustador. Teoricamente, se as coisas acontecem na minha cabeça, eu tenho controle sobre elas. Mas não. Não me arrisco a voar, e cair na realidade. Tenho medo do fim. É duro admitir isso. Mas tenho medo do fim. Meus olhos estão pesados. Será que posso dormir dormindo? Durmo e acordo. Não. Durmo somente. É difícil acordar sem estar dormindo. Ás vezes penso no significado de tudo isso e me vem aquela vontade louca de subir no prédio mais alto e pular. Pular não, voar. Dizem que não posso. Eu digo secretamente que não posso. Ora, ninguém sabe. Até eu pular a caixa de Schrödinger está fechada. O nosso bom senso diz que é impossível, mas eu já sonhei que fui uma galinha e nesse sonho todas as galinhas sabiam voar mas tinham se convencido do contrário. Quando eu vou parar de sonhar e voar?

Um dia beat

Publicado: 16 de setembro de 2011 por Bill em A Vida
Tags:, , , , , , , , , ,

Ilusão é sonhar, acordar e não se lembrar do sonho. Todos os dias.

A televisão estava alta. Queria dormir logo. ESTAMOS TRAZENDO NOVAS INFORMAÇÕES NO PRÓXIMO BLOCO. VOCÊ JÁ VIU O NOVO HONDA CIVIC? ENTÃO VOCÊ AINDA NÃO VIU NADA! Dá pra abaixar o som da tv POR FAVOR MÃE! Gritei puto. Não adiantou. Minha mãe tem mania de deixar a televisão no volume mais alto para poder escutar enquanto toma banho. Inferno, resmunguei jogando o edredom para o alto, maldito Willian Bonner. Ainda meio cambaleante de sono, fui até o quarto da senhora minha mãe. Po, mãe! Eu to tentando dormir! Ela gritou do banheiro: O QUÊ?! Xinguei a infeliz baixinho, catei o controle e ia desligar a tv quando ouvi que os EUA tinham matado Osama Bin Laden.

Fiquei estático. A cena das Torres Gêmeas caindo bem viva na cabeça. Bush ou Obama? Quem eu queria ver morto? Ouço eu mesmo me repreendendo. Não é você o defensor incorruptível da vida? Ah, cala a boca, respondi, estamos sozinhos aqui. É verdade, eu também concordei. Mas porra, nada justifica matar pessoas inocentes por uma idéia, tentei argumentar comigo mesmo. Ah, e matar pessoas culpadas não tem problema? Ficamos calados, meditando. Não sei. Não dou a mínima do porque Bin Laden fez isso se quer saber. Eu só…  TÁ DOIDO MENINO? Minha mãe falou saindo do banheiro. Porra mãe! Se veste primeiro!

Baixei o volume da tv e voltei pro meu quarto, mas não consegui pegar no sono. Osama morreu. Ele merecia morrer. Então por que eu estava tão incomodado com essa porra? Virei pro lado e tentei esvaziar a cabeça. Não consegui. Fiquei de bruços. Tentei induzir o sonho. Mas não consegui pensar em nada legal para sonhar. O inconsciente tinha roubado as melhores idéias. Saco. Amanhã eu tenho prova. Tenho que recarregar o cartão do passe também. MERDA! Esqueci de carimbar o cartão de passe!! É uma merda mesmo viu, eu sempre esqueço de carimbar essa desgraça. Que merda veio… viro de um lado, viro do outro e nada do sono vir. Abro os olhos. Tudo é escuridão. O negócio é que não tem nada haver com matar estadunidenses. É matar qualquer um. Que mundo é esse afinal onde alguns poucos homens tem poder de vida sobre todos os outros? Essa não é a época pela qual os iluministas tanto sonharam? Que mentes ilustradas iriam trazer a luz da Razão ao mundo e todos os males se dissipariam? Não era nisso que eu acreditava também? Obama não era o Lula negro que iria resgatar os valores de liberdade dos fundadores da América? Deus do céu o que aconteceu com nossos sonhos? Hoje no ônibus uma mulher se sentou do meu lado, rezei pra que não fizesse isso, mas ela sentou. Era velha e os velhos adoram puxar uma conversa e eu só queria encostar a cabeça no vidro do bus e dormir. No entanto, a velha foi mais rápida. Ela perguntou: Vai chover pra caramba essa noite né? Parece que sim, respondi sem olhar. Já tomou uma chuva daquelas que chega a arrancar o guarda-chuva das suas mãos? Eu já. Vixi… um montão de vezes. Por isso que nem uso mais guarda-chuva. É bom sabe, tomar um banho assim de vez em quando. Sei que parece besteira, você pode ficar gripado e tudo. Deus sabe que na minha idade um espirro num dia pode significar um caixão no outro. Mas quando se está velha que nem eu, sei lá, a morte não é tão ruim, sabe? A vida vai ficando tão cansada… meus joelhos doem todos os dias, aliás, todas minhas juntas doem um horror, principalmente de manhã. Tem dia que acho que não vou conseguir levantar de tanta dor. Mas levanto. Porque tem gente que ainda precisa de mim. Logo vou deixar de ser necessária e passar a ser um estorvo, rárá. Mas enquanto meus joelhos permitirem, eu vou levantar. Opa, é minha parada. Foi ótimo conversar com você rapaz. Virei a cabeça pra olhar a velha descer do ônibus. Alguns passageiros olhavam de cara feia suas costas curvadas, reclamando dos seus passinhos de formiga. Queriam chegar logo em casa. Eu também, mas observando ela ir sem me despedir, senti uma dor assustadora no peito. Sério, senti vontade chorar. De levantar e gritar pra galera. Olha só! Deixem ela andar devagar porra! Ela já andou rápido por tempo demais! Ela precisa descansar! Deixem ela descansar… mas não fiz nada. Encostei minha cabeça no vidro e adormeci. O celular despertou alto, levantei depressa. Hoje é prova. E eu ainda tinha que carimbar a porra do cartão de passe sem falta.

 

bill, o que ele faz? Faz história, literalmente. É, além de doido e meio afeminado, flamenguista, mineiro, sagitariano, otaku, metaleiro, sertanejeiro, petista, rabugento, boêmio, tonto, divertido y dulce…. um comunista pero no mucho.